Home >> Protótipos >> Hakone

 

 

 

SHINSEN-KYO (A TERRA DIVINA) - O PROTÓTIPO DE HAKONE

 

Em maio de 1944, Meishu-Sama Se mudou de Tamagawa, Tóquio, para o Shinzan-sô (Solar da Montanha Divina), Hakone. Pode-se dizer que foi esse o primeiro passo para a construção.

O Shinsen-kyo de Hakone é o Solo Sagrado Primordial, sendo o primeiro ponto originário dos três Solos Sagrados. Meishu-Sama considerou a construção do Shinsen-kyo como a Forma da Transição da Noite para o Dia" e promoveu a sua construção como Solo Sagrado "Protótipo do Paraíso Terrestre" e "Forma do Japão".

O kototama (espírito da palavra) de Hakone explica o seguinte: ha corresponde a abrir, é o fogo, ko corresponde a endurecer e indica consolidação, e ne significa fundamental.

Em junho de 1952, com o término e inauguração do tão esperado Museu de Belas-Artes de Hakone, realizou-se um majestoso Culto do Paraíso Terrestre, também em comemoração à conclusão do Shinsen-kyo de Hakone. O objetivo do Mestre era construir um local paradisíaco, o modelo do Paraíso Terrestre, com a perfeita harmonia entre a beleza natural e a beleza artificial criada pelo homem. Seria, assim, a imagem do vindouro Mundo de Miroku, local pleno de Verdade, Virtude e Beleza. Disse o Mestre:

 

"Construirei o Jardim de Flores em Hakone,

Abrindo caminho entre as plantas e o matagal

Que crescem em abundância

Este pequenino Templo

É também o protótipo de

Três Mil Mundos"

(18 a 22 de março de 1951)

 

CONSTRUÇÕES DO SHINSEN-KYO

 

Koomyo Shinden (Santuário da Luz Divina) - Inaugurado em 5 de outubro de 1971, simboliza o Mundo sob a égide de Deus, o Céu na Terra. Erigido no Koomyo Dai, a Colina da Luz, é a Sede Espiritual da Doutrina Messiânica.

 

 

Okutsuki (Sepulcros Sagrados) - Tratam-se dos dois túmulos, o do Mestre Jinsai Okada e de Sua esposa Yoshi Okada. O túmulo do Mestre foi construído em 3 dias pelos fiéis, logo após Sua ascensão, em 10 de fevereiro de 1955. O local escolhido para sepultá-Lo era uma colina cheia de árvores, a qual foi aplainada, soterrando-se as depressões com terra trazida de locais limpos. Sua esposa Yoshi, ou Nidai-Sama, faleceu em janeiro de 1962 e está sepultada ao lado esquerdo do Mestre.

 

 

Soreisha (Morada dos Ancestrais) - Em outubro de 1958, a Segunda Líder Nidai-Sama consagrou o Santuário dos Ancestrais, em Hakone. No santuário, primeiramente, está assentado o Espírito Divino do Grande Mestre; em seguida, os espíritos dos pioneiros e demais antepassados. Além disso, estão assentados os espíritos das vítimas da Segunda Guerra Mundial.

Fujimitei (Solar de Contemplação do Monte Fuji) - Foi construído por Meishu-Sama ao lado do Hôzan-Sô em Tóquio e concluído em outubro de 1936. Na época, era o local onde Meishu-Sama atendia as pessoas e onde Ele Se dedicava a escrever Imagens da Luz Divina e Ohikari. Foi desmontado e reconstruído no Shinsenkyo e reinaugurada em 23/12/1974. O Fujimimitei foi construído voltado para oeste, de modo que se pudesse ver o Monte Fuji. Foi o local onde Meishu-Sama viveu cerca de dez anos, fazendo as caligrafias a pincel e escrevendo os Ensinamentos.

 

 

Nikko Den (Templo da Luz do Sol) - Foi construído em 1948. Até a Consagração do Santuário da Divina Luz, esta casa foi utilizada para a realização das cerimônias religiosas (palestras, cultos, etc.)

 

 

Kanzantei (Solar de Contemplação da Montanha) - Foi concluído em 15 de agosto de 1946 (1 ano após o término da guerra). Neste local, Meishu-Sama e Sua esposa passavam o verão anualmente. Do Kanzantei se avista uma bela paisagem à frente, o Monte Myôjo-Ga-Dake, conhecido pela fogueira em forma de ideograma. No lado oeste, Meishu-Sama construiu uma sala em estilo ocidental e, neste local, escrevia os Ensinamentos e elaborava os planos da construção do Reino do Céu na Terra.

 

 

Shinzanso (Solar da Montanha Divina) - Meishu-Sama mudou-Se de Tokyo para Gôra (Shinzanso ) em 5 de maio de 1944, influenciado pela Montanha Divina, o pico mais alto de Hakone, cujo nome deu à sua nova residência. Foi usado para dar instruções e orientações aos ministros e fiéis. Pode-se dizer que este assumiu a característica como primeiro Templo no Shinsenkyo.

 

Hagui no Ie (Caminho de Hagui e Casa do Trevo)   - Descendo o Jardim de Bambus, que fica em frente ao Museu de Belas Artes, em direção ao Caminho dos Trevos, apreciamos as flores vermelhas e brancas do “Miyagui no Hagui” (uma variedade de trevo japonês) que estão plantadas nos dois lados do percurso e que florescem todos os anos no final de setembro, formando um túnel colorido. No aposento desta casa, uma hora por dia, Meishu-Sama escrevia caligrafias.

 

 

Bijutsukan (Museu de Belas Artes)  - O Museu foi inaugurado no dia 15 de junho de 1952 e na sua época foi considerado uma raridade, sendo muito valorizado e renomado por reunir uma belíssima coleção de obras-primas orientais (especialmente a japonesa). Está localizado abaixo dos Sepulcros Sagrados e acima dos jardins. O anexo do Museu (Bekan) também foi projetado por Meishu-Sama e está situado no lado noroeste do Museu. Sua conclusão ocorreu em maio de 1953.

 

 

Sanguetsu-An (Casa de Chá Monte e Lua)  - Em 1947, o Mestre pediu a Seibe Kimura (2ª geração), especialista no assunto, que construísse a Casa de Cerimônia de Chá Monte e Lua, que, atualmente, goza de muita fama na Região Kanto. A construção foi concluída em 3 anos.

 

 

Take Niwa (Jardim dos Bambus)  - Construído ao lado do Sanguetsu-An, com suas rochas cheias de musgos e com seus bambus crescidos de forma dispersa, possui a graça característica do estilo chinês. Na Era Guen, existiu na China um pintor, chamado Shizui Dan, que pintou muitos quadros de bambus e rochas. O Grande Mestre admirava suas obras e, há muito tempo, adquirira algumas. No Jardim de Bambus, está expressa a sensibilidade desse artista, com pedras e bambus verdadeiros. Os bambus criam inúmeras raízes e dão muitos brotos, formando densos agrupamentos, o que lhes tira a graça. Para evitar isso, teve-se o cuidado de enterrar blocos de concreto entre os bambus.

 

 

Ryuzu no Taki (Cachoeira Cabeça do Dragão)  - Construção feita por Meishu-Sama para que se pudesse contemplar das alturas a correnteza do vale, dando a impressão de profundidade.

 

 

Koke Niwa (Jardim dos Musgos)  - Assim que voltou de sua primeira viagem missionária à Região Kansai, o Mestre Jinsai apresentou o projeto do Jardim dos Musgos, para cuja construção se aterraria a depressão do terreno na parte leste da Casa de Cerimônia de Chá Monte e Lua, e pediu a todos os fiéis que oferecessem musgos de diversas regiões. Assim, o terreno coberto de bambu kumazassa transformou-se por completo: em seu lugar, dando outro colorido raro à Terra Divina, surgiu um belo jardim de musgos, enriquecido pelo Estilo Rin-pa.

 

 

Outras imagens:

 

 

 

 

 

 

Planta do Shinsen-kyo

 

Projeto de conclusão da via de acesso entre o Koomyo-Dai e o Shinsenkyo

 

 

Imprimir

 


Jinsai.org - Vida e Obra do Mestre Jinsai

 

Copyright © Todos os direitos reservados