Iniciar impressão
| Voltar para a página

 

 

Sobre o nome Akegarassu

 

Akegarassu era o nome que Meishu-Sama usava para a composição de poemas kanku (poema derivado do haikai).

No kanku, tal como no haikai, os pés métricos são dezessete, distribuídos em três versos, dos quais o primeiro e o terceiro são pentassílabos, e o segundo, heptassílabo. Trata-se de um jogo de palavras onde só é determinado o primeiro verso, e as pessoas têm de completar os dois seguintes, para competir nas habilidades de agilidade mental e humor. Existe, ainda, o toku, no qual se determina o último verso. Oficialmente, esses dois tipos de poemas são denominados kantoku; entretanto, parece que, popularmente, quando se fala em kanku, subentendem-se as duas formas.

Por volta de 1923, quando o Mestre retornou à Oomoto, essa Igreja desenvolvia uma intensa atividade literária, como parte da Obra Divina. Em 1927, ela fundou a Editora Meiko e começou a publicar uma revista mensal de poesia waka e kanku , chamada Meiko . Imediatamente, o Mestre Akegarassu passou a enviar Seus poemas para essa revista. Eram composições de conteúdos diversos: poemas religiosos que expressavam a busca de Deus, poemas que retratavam a natureza, poemas que cantavam os sentimentos humanos, e também poemas românticos. Eles revelavam o coração do Mestre, que, em todos os aspectos de Sua vida, nunca Se fixava em um só ponto.

Seguem-se alguns exemplos das composições do Mestre Akegarassu:

 

“Graciosa é a andorinha

Que, determinando

O canto do telhado

Como sua eterna residência,

Vai e vem voando.”

 

“Meu amor tornou-se

Algo impossível,

E conversar com ela

É um sonho raro.”

 

“Chuva de verão

Que reanima pessoas,

Animais e outros seres

Abatidos pelo intenso

Calor do Sol.”

 

Endereço da página:

www.jinsai.org/manifestacao/akegarassu.php

 

Iniciar impressão
| Voltar para a página

 

 

Jinsai.org - Vida e Obra do Mestre Jinsai (Meishu-Sama)

Copyright © Todos os direitos reservados