Home >> Especiais >> Divindades >> Amaterassu Ookami

 

 

Amaterassu Ookami

 

A mais alta hierarquia divina, cultuada no Japão, é Amaterassu Ookami, divindade tida como ancestral da família do Imperador. Atualmente, ainda encontra-se presente, no Templo de Isse.

 

A deusa Amaterassu Ookami

 

O Kojiki, antiga coletânea da mitologia e história do Japão, faz menção a um casal de divindades, Izanagui e Izanami-no-Mikoto, que geraram uma filha chamada Amaterassu Ookami, e um filho, Sussanoo-no-Mikoto.

Este último foi designado para governar a Coréia, e Amaterassu, o Japão. Daí o motivo dela ser considerada ancestral dos imperadores.

Meishu-Sama escreveu que a oração Amatsu Norito remonta a uma época anterior à de Jinmu, o primeiro Imperador do Japão. Foi escrita por um deus da linhagem de Amaterassu Ookami, adorado pelo clã Yamato, e por isso suas palavras possuem um espírito muito elevado e uma ação intensa, tendo o poder de purificar o Céu e a Terra.

Vemos, assim, que a deusa Amaterassu tem, realmente, uma importantíssima posição na hierarquia espiritual.

Segundo a lenda, Amaterassu se retirou para uma caverna, depois que seu irmão Susanoo, o deus do mar, jogou um potro esfolado pela janela do quarto onde ela tecia. Quando ela desaparece, o mundo é envolvido em trevas eternas, abrindo o caminho para que os deuses perversos (jashin) pratiquem o Mal e criem o caos. Assim, os deuses do Bem (seishin), na tentativa de retorno da ordem e da Luz, criaram uma estratégia para que Amaterassu, por curiosidade, saísse da caverna. Sua curiosidade é que ouvira risos e achou estranho, pois no caos não haveria motivo de risos.

 

Amaterassu Ookami na 1ª Abertura da Porta da Rocha

 

Ao sair, na 1ª abertura do Portal Rocha do Céu, Amaterassu ofusca os deuses com a sua Luz. Os deuses do Mal tentaram tapeá-la usando um espelho, pois queriam que ela achasse que havia um deus mais brilhante do que ela. No entanto, os deuses do Bem, a fim de evitar que ela voltasse à caverna, cercaram a sua entrada com cordas, as shimenawa , usadas hoje para mostrar que algo é sagrado.

Quando Amaterassu saiu da caverna, portava o colar, presente de seu pai Izanagui, quando incumbiu sua filha do Taka ama hara, ou Takamo no Hara, que seria o “Governo dos Céus”. Trazia também a espada que seria futuramente passada ao Imperador, seu descendente. Atualmente, esses objetos fazem parte das insígnias imperiais e se encontram no santuário de Atsuta, próximo a Nagóia.

A data de nascimento de Amaterassu, segundo Meishu-Sama, seria dia 15 de junho, “quando o Sol nasce”.

 

Imprimir

 

Jinsai.org - Vida e Obra do Mestre Jinsai

 

Copyright © Todos os direitos reservados