Home >> Ensinamentos >> Sociedade

 

ELIMINAÇÃO DO MAL

 

 

Que é o Mal?

Mal, sem dúvida, é ameaçar o próximo, causar-lhe sofrimento e prejudicar a sociedade em busca de vantagens pessoais. Por causa dele, os prejuízos individuais e sociais são incalculáveis. Em todo relacionamento humano, não há ninguém que, em maior ou menor proporção, não seja vítima do Mal.

As pessoas se vêem obrigadas a reforçar janelas, trancar portas, mantê-las fechadas em pleno verão e deixar alguém de guarda ao se ausentar, a fim de impedir a entrada de gatunos. Também somos levados a desconfiar de quem nos acena com negócios vantajosos; enfim, vemo-nos forçados a desconfiar de tudo. Além disso, qualquer notícia relativa a roubos na vizinhança perturba o sono de muitos, e sair à noite - principalmente tratando-se de mulheres - é extremamente perigoso. Não podemos descuidar-nos dos batedores de carteiras nos transportes coletivos, nem dos empregados infiéis, nem da vigilância rigorosa que as casas comerciais têm de manter para evitar fraudes. Vivemos assustados, intranqüilos, pois estamos cercados de velhacos. Eis a realidade do mundo atual.

Mas ainda há coisas piores. Os pais se preocupam com os filhos adolescentes expostos às tentações. As esposas vivem alarmadas com a infidelidade dos maridos, e estes, com a infidelidade das esposas. Surgem fracassos imprevistos nas empresas, e os gastos do Governo para manter a polícia e as instituições de defesa social são enormes. Casas e firmas constroem sólidos depósitos para resguardar seus bens contra os assaltantes. Nas fábricas, há dispendiosa vigilância contra o furto de matérias-primas. Exigem-se providências contra a desonestidade de empregados por ocasião de armazenagem e pagamentos. Instalam-se cofres, cria-se exagerado número de livros de registro, guias e recibos, que devem ser carimbados um por um. As mercadorias são de qualidade duvidosa, os profissionais negligenciam seus serviços, as greves são mal intencionadas e os ricos buscam lucros excessivos. Todas estas coisas têm raiz no Mal.

A desonestidade dos funcionários realiza-se quase à vista do público. Fala-se que se podem obter matrículas nas escolas por meio de gratificações, e alvarás, nas repartições públicas, agindo-se nos bastidores. É raríssima a imparcialidade em qualquer setor social. Ninguém acredita que seja possível sobreviver sem alguma forma de transação ilegal.

Se quisermos calcular a proporção do Bem em relação ao Mal, nesta enumeração de fatos, veremos logo que a proporção do Mal é bem maior. Não conseguiremos, sequer, avaliar os prejuízos que sofrem os indivíduos e a sociedade, por mais que relacionemos os danos e a insegurança do mundo atual.

O progresso da civilização e o advento de um mundo melhor só serão possíveis pela erradicação do Mal que ora nos aflige. Todas as questões, mesmo os sucessos e os fracassos, dependem do grau de incidência do Bem e do Mal. Portanto, os políticos e os educadores devem empenhar-se para diminuir a porcentagem do Mal. E eu estou certo de que o único recurso para isto é a Fé Verdadeira.

 

05 de setembro de 1948

Imprimir

 


Jinsai.org - Vida e Obra do Mestre Jinsai

 

Copyright © Todos os direitos reservados