Home >> Ensinamentos >> Johrei

 

PRINCÍPIO DO JOHREI

 

 

1ª PARTE

O princípio do Johrei é um assunto por demais difícil para a compreensão das pessoas da atualidade, dado o seu nível de instrução. Isso é inevitável, já que a educação está totalmente baseada no materialismo. Por outro lado, através de documentos escritos e da tradição oral, constatamos que invariavelmente os fundadores de diversas religiões realizaram milagres. O fato é mais evidente nas grandes religiões. No entanto, pelo nível cultural daquela época, era possível convencer o povo apenas pela concessão de benefícios e pela realização de milagres, pois ele não buscava esclarecimentos sobre a teoria ou o conteúdo das religiões. O lamentável é que, se não tivesse havido a redenção, Cristo, quem mais milagres realizou, talvez conseguisse, durante a sua vida, salvar uma grande parte da humanidade e ampliar muito mais a sua doutrina. Seu período de atuação foi bastante curto, sem dúvida por causa da força de Satanás, que, na época, era inegavelmente mais forte, em virtude da prematuridade do tempo no Mundo Espiritual. Entretando, finalmente o tempo amadureceu e adveio a grande Transição naquele mundo. Através da minha percepção espiritual, posso ver claramente que a força de Satanás está enfraquecendo dia a dia.

Por Revelação Divina foi-me esclarecida a causa de vários fenômenos até hoje considerados mistérios do mundo. Assim, me é possível distinguir o justo e o satânico, investigar sobre a raiz do bem e do mal, corrigir o erro de todas as coisas. Em face do desequilíbrio do mundo contemporâneo, decorrente do progresso unilateral da cultura, ou seja, o progresso apenas da cultura material, vou incrementar extraordinariamente a cultura espiritual e, com o desenvolvimento paralelo de ambas, fazer surgir o mundo perfeito: o Paraíso Terrestre.

Como eu disse anteriormente, diferindo dos homens primitivos e dos homens de épocas de baixo nível cultural, o homem da atualidade não consegue confiar apenas em milagres, mesmo que estes sejam manifestados concretamente. Ele não se convence sem uma explicação teórica dos fatos. Uma das causas da decadência das religiões tradicionais é justamente elas negarem a cultura material e não conseguirem proporcionar benefícios concretos aos fiéis.

Vou explicar agora o princípio do Johrei, um dos métodos pelos quais os fiéis da nossa Igreja vêm obtendo magníficos resultados, expressos sob a forma de surpeendentes milagres. Quando se estende a mão em direção à pessoa enferma, as doenças mais difíceis e os enfermos mais graves começam a melhorar. Mesmo as dores mais fortes são aliviadas ou extintas em curto espaço de tempo. Portanto, só podemos dizer que se trata de “milagre”.

A Medicina atual é o resultado de milhares de anos de estudo e prática constante realizada por renomados estudiosos de vários países, e suas terapias minuciosas e elaboradas são dignas de elogio. Entretanto, um indivíduo comum obtém resultados notáveis ministrando Johrei em doentes que não conseguiram se restabelecer com o trabalho das autoridades médicas, formadas à custa de elevadas despesas com estudos e pesquisas durante dezenas de anos. É realmente um fato que está além da razão. Não seria, pois, exagero definir Johrei como a maravilha do século. Todavia, pelo simples conhecimento dos seus resultados reais através de notícias, as pessoas não o aceitam facilmente. Mais do que isso: provavelmente vêem-no pela ótica da superstição ou da anormalidade psíquica, o que talvez seja uma reação natural.

O aparecimento do Johrei é um grande acontecimento, inédito na História. A afirmação, feita por nossa Igreja, de que irá construir um “mundo livre de doença, miséria e conflito” não seria possível se ela não estivesse absolutamente convicta do que está dizento. Se não tivesse competência para isso, ela estaria enganando o mundo e cometendo um delito imperdoável. Para nós, no entanto, como eu disse anteriormente, milagres como os que citamos não são milagres. Eles possuem uma base totalmente fundamentada na explicação científica e ocorrem porque devem ocorrer. Vou, a seguir, explicá-los mais profundamente.

2ª PARTE

Para explicar o princípio do Johrei, torna-se indispensável o conhecimento de um fato: todas as coisas existentes no Universo são constituídas não apenas da parte material, mas também de uma parte espiritual, invisível aos nossos olhos. O homem, logicamente, também está constituído de matéria e espírito. Numa classificação sumária, o espírito é a essência do Sol; o corpo físico, a essência da Lua e da Terra. Em termos mais compreensíveis, o espírito é fogo, positivo, masculino, frente, vertical e dia; o corpo, por sua vez, é água, negativo, feminino, verso, horizontal e noite. Entretanto, a Ciência não admite a existência do espírito, objetivando somente a matéria. Ora, se o homem fosse desprovido de espírito, não passaria de um simples objeto. Seria uma matéria inorgânica como o pau e a pedra, sem vida e sem atividade mental. Não compreender essa teoria tão simples constitui o erro fundamental da Ciência até hoje. Para os cientistas, no espaço só existe o ar, nada mais. Mas a verdade é que, além do ar, existe um número incalculável de elementos invisíveis; lamentavelmente a Ciência ainda não progrediu a ponto de detectá-los. Por felicidade eu descobri a natureza desses elementos, tendo dado aos conhecimentos obtidos o nome de Ciência Espiritual. Com essa descoberta, evidentemente, chegou-se à época em que terá início a eliminação das doenças, o maior sofrimento da humanidade.

A seguir, vou elucidar sobre a causa do aparecimento das doenças. Conforme eu já disse, o homem é constituído de duas partes — a material e a espiritual. O fato dele estar vivo e se movimentar acha-se relacionado à estreita união entre o espírito e a matéria, ou seja, esta é movida pelo espírito. O espírito possui a mesma forma do corpo físico, e dentro dele localiza-se a consciência, no centro do qual, por sua vez, está a alma. A atividade dessa trilogia manifesta-se como vontade-pensamento, a qual é invisível. Essa vontade-pensamento é que governa o corpo; portanto, o espírito é o principal, e a matéria, o secundário, isto é, o espírito precede a matéria. Quando uma pessoa movimenta os braços e as pernas, eles não se movem livres e por si próprios, mas sim obedecendo à vontade da pessoa. Todas as partes do corpo, sem exceção, inclusive a boca, o nariz, os olhos, etc., movimentam-se dessa forma. Até a doença obedece ao mesmo princípio. Para que possam entender bem, vou exemplificar com o furúnculo, do qual todo mundo tem experiência.

O furúnculo surge como uma pequena protuberância e vai inchando gradualmente e tomando uma cor avermelhada. Normalmente vem acompanhado de febre, e a pessoa começa a sentir dores e coceiras no local. Esse fenômeno constitui uma atividade de eliminação das toxinas acumuladas em determinada parte do corpo físico, por uma ação fisiológica natural. As toxinas acumuladas em determinada parte do corpo são dissolvidas pela febre e liquefeitas, para que sua eliminação seja mais fácil. É a atuação da força de recuperação natural. Para formar um orifício de saída, a pele fica muito fina e flácida. Portanto, a coloração avermelhada é o sangue impuro, visível através da pele, que se tornou fina e transparente. Depois, abrindo-se um pequeno orifício, o sangue purulento começa a sair imediatamente; com essa eliminação de pus, termina a purificação.

A explicação acima diz respeito ao corpo. Mas em que condições se encontra o espírito nessa ocasião? Ele apresenta uma espécie de nebulosidade igual ao furúnculo; em outras palavras, máculas. Quanto mais grave a doença, mais densas são as máculas. E por que motivo elas ficam concentradas numa parte do espírito? É pela ação purificadora constante. Depois que as máculas do espírito todo se reunirem em determinado local, surge a ação eliminatória. Isso constitui a doença. Existe, pois, uma relação inseparável entre o espírito e o corpo.

Falei há pouco sobre o princípio do Espírito Precede a Matéria, mas ele não se aplica apenas ao ser humano; todas as coisas do Universo, sem exceção, obedecem a esse princípio. Por conseguinte, o objetivo do Johrei é eliminar essas máculas espirituais. Através dele, as máculas entram em colapso. Em outras palavras, o Johrei tira-lhes a vida. Mortas, obviamente elas perdem toda a sua força e deixam de pressionar os nervos. Esta é a razão do desaparecimento das dores.

3ª PARTE

O método do Johrei que emprego atualmente consiste em outorgar às pessoas um papel onde está escrita a palavra Hikari, ou seja, Luz. Os efeitos se manifestam quando esse papel é usado no peito, pendurado ao pescoço. Isso acontece porque dessa palavra Hikari se irradiam poderosas ondas da palma da mão do fiel que ministra o Johrei.

E por que motivo se irradiam ondas de Luz da palavra Hikari ? Essas ondas são emitidas do meu corpo e, pelo elo espiritual, transmitem-se instantaneamente à palavra em questão. É muito semelhante às ondas de rádio. Todavia, se as ondas de Luz são emitidas do meu corpo espiritual e transmitidas através do elo espiritual, surge a seguinte pergunta: que segredo existe no meu espírito? Quando compreenderem isto, a dúvida desaparecerá. No meu ventre há uma bola de Luz que normalmente mede uns seis centímetros de diâmetro; ela já foi vista por algumas pessoas. Dela, as ondas de Luz irradiam-se infinitamente. A fonte dessa bola de luz está no “Nyoi-no-Tama” (bola existente no cetro sagrado) de Kanzeon Bossatsu, no Mundo Espiritual; dela me é fornecida uma Luz infinita. Esse é o Poder Kannon, também conhecido como Poder Extraordinário e Misterioso ou Poder da Inteligência Superior. A bola que Nyoirin Kannon traz consigo é igual à de Kanzeon Bossatsu.

4ª PARTE

Convém falar aqui a respeito de Kanzeon Bossatsu. Dentre os muitos budas, Ele era considerado o mais oculto. Há nisso um profundo mistério, mas não posso divulgá-lo totalmente, pois ainda não chegou o tempo certo. Pretendo fazê-lo tão logo Deus me permita. Sendo assim, escreverei apenas sobre o mistério relacionado com o Johrei.

A atuação de Kanzeon vem desde o advento do budismo, mas daquela época até pouco tempo atrás Ele promovia tão somente a salvação do espírito. Evidentemente, através da oração conseguiam-se graças, mas estas eram extremamente limitadas. A razão disso está no fato de que a Luz era formada pela união do elemento fogo e do elemento água, mas faltava o elemento terra. Como havia apenas dois elementos, a força era insuficiente. Entretanto, chegou a hora de uma grande mudança no Mundo Espiritual: é o Final dos Tempos, o Juízo Final citado na Bíblia. Tornou-se necessária, portanto, uma força poderosa e absoluta que salvasse toda a humanidade. Essa força é constituída pela união do fogo, da água e da terra; a força da terra é o elemento da matéria e corresponde ao corpo humano. Ao passar pelo corpo, a Luz é acrescida do elemento terra e daí nasce a força da trilogia, ou seja, o Poder Kannon. Explicando de maneira mais acessível, a Luz emitida pelo “Nyoi-no-Tama” de Kanzeon Bossatsu, passando pelo meu corpo, manifesta-se como Poder Kannon , o qual, através do corpo do membro, torna-se a força purificadora.

Exemplificarei o que acabo de dizer. Desde a Antigüidade, ora-se diante da imagem de Kanzeon, para conseguir o benefício da solução das doenças e dos infortúnios, mas, hoje, os fiéis da nossa Igreja obtêm resultados várias vezes mais poderosos com o Johrei. Isso porque as ondas de Luz emitidas pelas imagens ou estátuas de Kanzeon Bossatsu são constituídas apenas pela força dos elementos fogo e água; nelas não está incluída a importante força do corpo. Outra razão é a grande Transição a que eu já tenho me referido várias vezes, ocorrida no Mundo Espiritual. Ela teve início em meados de junho de 1931. Até essa data havia muito elemento água e pouco elemento fogo no Mundo Espiritual, mas a partir daí a quantidade deste último começou a aumentar gradativamente. É verdade que a grande Transição já havia se iniciado dezenas de anos antes dessa data, mas o elemento fogo ainda estava bastante rarefeito. Se a Luz é forte, significa que há maior quantidade de elemento fogo. Da mesma forma, no caso das lâmpadas elétricas, quanto mais intensa é a luz, maior é a quantidade de calor emitido.

Outro exemplo é a existência de uma massa de elemento fogo em meu ventre. As pessoas falam que minha temperatura é bem mais alta que a das pessoas comuns. Praticamente todas as noites fazem-me massagens nos ombros, e todos dizem que de mim emana muito calor. No inverno, sempre acabo tirando um ou dois agasalhos. Se permaneço num cômodo durante algum tempo, as pessoas acham que ele ficou aquecido, e muitas vezes brinco dizendo que substituo o aquecedor. Mesmo em dias de frio intenso costumo ficar uma ou duas horas só de pijama, após o banho. Além disso, gosto especialmente de banhos mornos. Isso obedece ao mesmo princípio do aumento de calor quando se joga água no fogo, e do frio mais intenso nos dias ensolarados de inverno.

 

(Jornal Eikô Especial — 30 de maio de 1949)

Imprimir

 

Jinsai.org - Vida e Obra do Mestre Jinsai

 

Copyright © Todos os direitos reservados